Em comparação a outros alimentos, como a carne ou legumes, os cereais são geralmente mais fáceis de armazenar. Se os grãos estiverem livres de insetos e dentro de um determinado conteúdo de umidade, ele poderá ser mantido durante muitos anos com uma mínima perda de qualidade ou de valor nutricional.

Manter os grãos fora do alcance de insetos está diretamente ligado à temperatura do ambiente. Se as temperaturas estiverem altas, é mais comum o surgimento desses seres indesejáveis. Agora, com a temperatura mantida em níveis mais baixos, evita-se a aproximação de insetos, além de evitar a deterioração do produto.

Na maioria das vezes, o valor do grão é muito maior do que o custo da estrutura na qual ele é armazenado. Por isso, dar atenção à melhoria no método de armazenamento não se trata de desperdício. É um investimento para maior qualidade do seu produto e diminuir o risco de perdas.

Por que armazenar?

Depois de serem colhidas e beneficiadas, as sementes, por exemplo, entram no processo natural de deterioração. Assim, este processo – que pode demorar de meses a anos – interfere nas propriedades germinativas. Por isso, apostar em armazenamento retarda essa função até que as mesmas estejam prontas para o plantio.

Dos problemas que podem interferir na qualidade das sementes, a umidade e a temperatura são as que mais podem causar dores de cabeça ao produtor. Portanto, são nesses dois aspectos que devem estar os maiores cuidados na hora de escolher o tipo de armazenamento. O recomendado pela Embrapa é um local ventilado, com umidade de 65% a 70% e temperatura máxima de 25 graus.

Requisitos para armazenamento:

Independentemente do tipo de armazenamento que escolher, é importante manter alguns requisitos essenciais para que isso seja feito de maneira segura:

  • a estrutura de armazenamento deve manter os grãos livres da entrada de água, insetos, roedores e aves.
  • se os grãos forem armazenados a um nível de umidade acima dos níveis “seguros”, é conveniente prever algum mecanismo para resfriar os grãos.
  • em caso de infestação por insetos, a instalação de armazenamento deve permitir a desinfecção dos grãos de forma fácil e econômica.

Tipos de armazenamentos:

Existem, atualmente, diversas opções de armazenamento. Os mais comuns são:

Tulhas

Uma solução simples para armazenar grandes quantidades de semente em períodos menores de tempo. Para evitar contaminações e excesso de umidade, o piso, normalmente, é elevado em relação ao solo.

Câmaras frigoríficas

São ótimas soluções para armazenar grãos em períodos mais longos. Porém, por conta da temperatura e acúmulo de água, as sementes tendem a perder um pouco das propriedades germinativas.

Silos

É uma das formas mais conhecidas de armazenamento de semente e grãos. Os silos são compostos por estruturas mais robustas. Diferente das tulhas, os silos podem conter sistemas de ventilação, o que auxilia na conservação, mas tende a encarecer o projeto.

Container seco

Trata-se de uma solução inovadora na forma de armazenamento de grãos. O container seco, também conhecido por container dry, é uma das opções mais completas. Por ser uma estrutura completamente vedada, impede a entrada de insetos e roedores. Além disso, mantém a umidade e a temperatura ambiente do espaço.

Conseguiu entender mais sobre o armazenamento de grãos? Se você se interessa por esse tipo de conteúdo, não deixe de conferir nosso Tanque Australiano que também pode ser utilizado para o armazenamento de grãos!  seguir nossa página do Facebook para receber nossas atualizações!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...