Archive for Sistema de criação

PEIXES: O COMPORTAMENTO DOS PEIXES EM ÉPOCA FRIA!

peixe no frio

A seguir, vamos desvendar o comportamento dos peixes em épocas frias, que inicia já no mês de maio e geralmente vai até setembro.

Em épocas de calor o peixe é muito ativo e se alimenta constantemente, porém, está chegando aquela época mais fria do ano, na qual podemos encontrar mais dificuldades para manter os peixes saudáveis.

RESISTÊNCIA

Peixes de boa procedência e bem alimentados, sofrem menos com a queda de temperatura. As espécies mais afetadas com a queda são: pacu, tambaqui, pintado e o dourado.

As carpas e tilápias, por sua vez, são mais resistentes.

carpa-678x381

METABOLISMO DOS PEIXES

Os peixes são espécies de sangue frio, conhecidos como exotérmico ou pecilotérmico, isto quer dizer que “a temperatura corporal dos peixes varia de acordo com a temperatura do ambiente”.

Com a chegada das estações mais frias e consequentemente a queda da temperatura da água (geralmente de 3 a 20ºC), ocorre maior salinidade e menor fotoperíodo (dias mais curtos), com isso, o metabolismo dos peixes diminui e sua taxa de gordura aumenta, tornando-os mais lentos a fim de poupar o gasto de energia.

 TEMPERATURA IDEAL

ArquivoExibir

Assim como todos os animais, os peixes também precisam de uma “temperatura ideal” para o funcionamento correto do seu organismo, o chamado “conforto térmico”. Entre os peixes, nos pacus, por exemplo, a temperatura ideal para o conforto térmico é em torno de 26º; nos tambaquis, entre 27 e 29ºC; o dourado, 25ºC e assim por diante.

Como os peixes estão à mercê das variações externas de temperaturas (pecilotérmicos), nas águas frias do Inverno eles perdem o ponto ideal de funcionamento do organismo.

Dependendo do quanto a temperatura baixar, o peixe pode não resistir e morrer, como ocorreu em 2000 na represa de Porto Primavera, em Presidente Epitácio. Ali, depois de uma frente fria, houve uma mortandade de tucunaré, um peixe tropical amazônico, cujo “conforto térmico” está por volta de 25ºC. Para citar outro exemplo, o dourado para totalmente de comer se a temperatura da água bater nos 18ºC; desse ponto para baixo, o peixe começa a sofrer com doenças até chegar à morte.

Para grande parte dos peixes brasileiros, a faixa ideal de temperatura fica entre 24º e 28ºC.

Mas para o produtor, o que implica a queda de temperatura na sua criação?

 

Como o peixe está com o seu metabolismo diminuído (debilitado) por conta da baixa temperatura, o peixe come menos, cresce menos, se movimenta menos, e dependendo da temperatura, pode chegar a óbito.

thumb

ARRAÇOAMENTO EM DIAS FRIOS

A quantia de alimentos a ser fornecida diariamente aos peixes depende da espécie, da fase de criação, do tamanho dos peixes, além da qualidade da água e da temperatura.

A ração extrusada, que é flutuante, deve ser substituída pela ração peletizada, evitando assim que os peixes fiquem sem alimentação ou que subam até a superfície.

Entretantono inverno, o arraçoamento deve ser reduzido para evitar desperdício, pois com a diminuição do metabolismo, os peixes vão comer menos, e o manejo alimentar corresponde a 70% dos custos de produção na piscicultura.

arracoamento-peixes-04

 Em períodos com temperatura favorável, os peixes comem normalmente.

Nesse caso, a ração deve ser fornecida na quantidade de 3 a 5% da biomassa em duas refeições diárias (manhã e fim de tarde) semanalmente.

Mas em períodos mais frios, a temperatura da água cai e, portanto, o arraçoamento dos peixes deve ser recalculado.

No cálculo da quantia necessária de ração por dia, devem ser considerados o peso médio dos peixes (peso da amostra / n° de peixes da amostra), a biomassa (peso médio dos peixes (kg) x N° de peixes contidos no viveiro) e a taxa de arraçoamento (valor percentual indicado com base no peso médio e na temperatura).

 

PENSANDO NISSO…

O Mercado da piscicultura, ou seja, criações de peixes em geral, já vêm desenvolvendo e otimizando sistemas para que não haja perda na sua criação de peixes, devido a temperaturas mínimas e também as elevadas.

É o caso da Fábrica de Peixes e Algas!

estufa

Com capacidade de produção de até 1 tonelada de tilápias/mês, a Fábrica de Peixes e Algas da Recolast é um Sistema de Criação Intensiva que possui controle total, desde o manejo das tilápias até a temperatura do ambiente. Possui uma estufa que mantém a temperatura ideal tanto da água quanto do ambiente.

Conheça mais sobre o Sistema clicando aqui!

A preparação do ambiente começa logo no planejamento da sua criação. Por isso a importância de pesquisar a espécie, o local ideal e a forma de manuseio, visto que nessa época (dependendo da espécie) não é recomendada a despesca. Assim, quando o inverno chegar você já está preparado e não corre o risco de perder sua produção!

Na dúvida, consulte sempre um especialista no assunto!

A equipe da Recolast se dispõe a tirar suas dúvidas, entre em contato conosco.

Empreendedorismo e educação nunca estiveram tão próximos!

Você já aprendeu algo sobre empreendedorismo? Teve alguma aula sobre abertura de negócios? Se respondeu Não, saiba que faz parte da maioria, algumas escolas brasileiras não têm projetos de incentivo ao empreendedorismo.

Empreender pode ser a chave para estimular competências e possibilidades de inserção no mundo do trabalho, incentivando atitude, persistência, independência, comprometimento, autoconfiança, entre outros.

atitude-empreendedora

Atualmente, esse conceito já vem se tornando realidade em algumas escolas e até Universidades.

A inserção de pequenos projetos nos estudos do dia a dia vem capacitando esses alunos e futuros empreendedores do Brasil. Os alunos aprendem e ensinam a empreender!

PENSANDO NISSO….A Recolast  Ambiental oferece Projetos Educacionais que contribuem para essa nova formação!

^28990F4D4865B82349930B0D4A1CD805ACA92088E68C3145BA^pimgpsh_fullsize_distr

 

Conheça os projetos mais procurados para essa finalidade:

KIT EDUCACIONAL AQUAPONIA!

Iniciando com uma pequena produção, o kit educacional aquaponia, é a combinação do cultivo de hortaliças com a criação de peixes, que através dos nutrientes das plantas, possibilita que os peixes cresçam mais saudáveis e as hortaliças tenham um rendimento maior. Essa alimentação natural do sistema também dispensa o uso de fertilizantes industriais ajudando na preservação do planeta.

kit_aquaponia

 Sem necessidade da troca de água e sem desperdícios com irrigação, esse projeto desperta curiosidades em adultos e crianças que buscam interagir com a piscicultura e agricultura. Servindo, não apenas de demonstração na prática, mas também para o próprio consumo. Assista aqui como funciona o Kit Educacional Aquaponia!

BIODIGESTOR RESIDENCIAL!

Modelo de Biodigestor Residencial

Modelo de Biodigestor Residencial

 

Pré moldado para ocupar pouco espaço, tem a capacidade de substituir o gás de cozinha tratando os resíduos orgânicos (restos de alimentos não consumidos pelo refeitório, cantina, etc). Saiba mais aqui!

TELHADO VERDE

 

Além de proporcionar uma temperatura agradável ao ambiente, isolamento acústico e térmico,contribui no combate ao efeito estufa, aumentando a retirada de carbono da atmosfera e ao mesmo tempo trás mais harmonia, bem estar e beleza para  os moradores e ocupantes da edificação.

Capturar

 

E o melhor, a instalação pode ser feita pelos próprios alunos. Veja como construir um telhado verde com apenas 5 passos AQUI.

 

A sua escola ou universidade já trabalha com sistemas semelhantes? Conte pra gente nos comentários! Entre neste mundo você também e espalhe a idéia.

 

Produtividade leiteira: Implantando um Biodigestor no sistema de Compost Barn!

O confinamento é praticado para que a produção de leite seja efetiva, e reflete no bem estar do animal e conseqüentemente na qualidade do produto. Por isso, é importante que os produtores estejam atentos a novas soluções que surgem no setor, garantindo maior eficiência na produção.

Continue lendo e veja nesse artigo:

- Como funciona o Sistema de Compost Barn e suas vantagens;

- O processo da compostagem;

- Usabilidade do Biodigestor para aumentar sua produtividade com qualidade.

vaca

Já ouviu falar em COMPOST BARN?                      

O Compost Barn foi criado em meados da década de 80, por norte americanos que produziam leite. Mas apenas em 2001 começou a ganhar adeptos em maior escala. Porém, no Brasil ainda está surgindo e existem poucos materiais a respeito do assunto.

O Sistema consiste em um grande espaço físico coberto, com ventilação, revestido com “camas” de serragem, palha de arroz, palha de café entre outros, materiais que oferecem maior conforto às vacas leiteiras.

compostbarn

O diferencial desse sistema é a compostagem!

As fezes e urina das vacas fornecem nutrientes essenciais para que ocorra a compostagem durante todo ano. Produz-se então, o dióxido de carbono (CO2), água e calor a partir da fermentação aeróbica das matérias, já o oxigênio é proveniente da movimentação diária na cama.

O manejo adequado da cama é fator determinante para que o Sistema dê certo, caso contrário poderá ter conseqüências negativas. A cama precisa ser movimentada 2 x ao dia, todos os dias em horário definido para as ordenhas.

 

compostbarn2

 

Vantagens do Compost Barn:

  • Possibilita maior conforto para o rebanho;
  • Favorece a higiene do local e dos animais;
  • Contribui para redução de problemas de perna de casco;
  • Diminui a contagem das células somáticas (CCS);
  • Aumenta a detectação do cio;
  • Aumento na produção de leite;
  • Diminuição do odor e incidências de moscas.

A cada ano ou quando necessário a cama deve ser trocada, e o que fazer com a compostagem rica em nutrientes que foi produzida durante o processo?

Já se fala em soluções para dar um destino ecologicamente correto para essa matéria rica em nutrientes, o Biodigestor!

Qual a função do Biodigestor com a compostagem?

A matéria retirada da cama, é colocada num tanque misturador com água ou com alguns efluentes. Depois de homogeneizada, a biomassa estará pronta para alimentar o Biodigestor.

biodigestor1

Essa biomassa ficará no biodigestor por cerca de 40 dias, sendo alimento de bactérias metanogenicas, gerando o biogás e biofertilizante.O gás é canalizado até o gerador para ser fonte de energia renovável, enquanto o biofertilizante você utilizará para regar o plantação ou até vender para outros produtores.

O trabalho em conjunto do Biodigestor com o Compost Barn visa oferecer a intensificação no processo, alavancando a produtividade com qualidade!

Para saber mais sobre os modelos dos Biodigestores, nossos consultores estão disponíveis com soluções e dicas para atender pequenos e médios produtores! Entre em contato conosco clicando AQUI ou pelo telefone 11 3437-7450.

As expectativas do Agronegócio para 2017

agronegocio

O cenário atual do Agronegócio

 

A atividade agrícola é uma das mais importantes na economia brasileira, pois é responsável pelos valores da balança comercial do país. O setor da agricultura passou por vários ciclos e transformações no decorrer dos anos, indo desde a economia na produção de cana-de-açúcar, até a expansão do café e da soja.

Em 2016 a safra de grãos teve uma grande redução devido à falta de chuva em algumas regiões e o excesso em outras. Com isso, os preços dos produtos agrícolas sofreram um aumento fora do comum em relação aos anos anteriores.

Em Mato Grosso, por exemplo, a produtividade da safra de milho foi a pior em 5 anos, devido a escassez da chuva na região o desenvolvimento do milho foi baixo e insuficiente para pagar a colheita dos produtores.

O ano não foi nada fácil para quem depende da produção de grãos, já que as demandas foram pequenas e os preços elevados, deixando assim, 2016 declarado o ano da crise.

Os obstáculos para o crescimento do agronegócio brasileiro são imensos, mas podem ser superados, é indiscutível a importância do agronegócio à economia brasileira e a posição que ele chegou ao cenário mundial atual. Por isso, se tornou o setor chave para que o Brasil se inclua no comércio mundial.

As expectativas para o próximo ano

perspectivas

Não é de hoje que o agronegócio brasileiro demonstra uma extraordinária capacidade de superar as adversidades. Os cenários serão diferentes de forma positiva em 2017, já que a agropecuária pode crescer em até 2% e as chuvas serão mais regulares permitindo o plantio dentro do calendário previsto.

Com o aumento da produtividade, a previsão é de alta de 4,9% no faturamento, atingindo R$ 133,1 bilhões, apesar da queda das cotações no Brasil, puxadas pelas boas safras americanas e argentina. Como boa parte da colheita de soja, assim como a do feijão, está concentrada no primeiro trimestre do ano, a expectativa é que o PIB do primeiro trimestre já reflita a boa safra.

Aumento das exportações

exportação

A exportação de grãos também é um dos fatores que tem previsão de crescimento em 2017, com projeção de 51,7 milhões de toneladas para 58 milhões. Segundo a Conab, os embarques de sojas podem alcançar o nível previsto de 102 milhões de toneladas, já que a maior parte das exportações brasileiras é para a China e tem como um possível aumento de 4,24 das importações para o país asiático. ­­

A Agricultura Familiar auxiliando no crescimento do agronegócio

agricultura-familiar

A agricultura familiar tem grande importância no Brasil, já que conta com uma produção de alimentos que segue bem estruturada e com investimentos crescentes.

A mandioca, feijão e milho são alguns desses alimentos com forte presença da agricultura familiar e tem um papel importante no mercado brasileiro. Essas mercadorias geralmente são levadas diretamente para o atendimento imediato de sua produção, evitando assim, que sejam direcionadas para o mercado externo.

Como ficarão as projeções para cada segmento

agronegocio

Feijão: O faturamento bruto vai crescer em todo de 19,8% e os preços não vão ser altos como foram registrados em 2016, devido ao aumento da produtividade.

Algodão e arroz: Apresentará um aumento de produção, mas os preços se manterão na média do ano anterior.

Milho: O faturamento vai crescer em torno de 7,6%, em relação ao de 2016 e terá aumento na produtividade e na área cultivada, levando assim, a queda nos preços.

Laranja: Expectativa de crescimento na produção, mas os preços ficarão nos mesmos níveis de 2016. O faturamento terá acréscimo de 7% em relação a 2016, atingindo R$ 6,2 bilhões.

Soja: Para 2017, a produção de soja deve atingir 104 milhões de toneladas. O consumo de grãos e o faturamento tem previsão de aumento.

Café: Com menor produção no Brasil, o faturamento do café vai cair em média 6% e o preço vai aumentar na mesma proporção que o grão.

Trigo: A produção seguirá a mesma linha de 2016, mas terá redução no faturamento, devido à queda nos preços dos cereais.

 

Apesar de termos passado por diversas dificuldades no setor do agronegócio em 2016, as perspectivas para os próximos anos são de melhorias devido ao grande aumento da produtividade e a regularização de chuvas nas regiões. Também é considerado que os produtores aliarão as novas tecnologias para continuar investindo nas práticas que não alteram negativamente o solo.

Criação de peixes – O que esperar para os próximos anos?

 Sabemos que 2016 foi um ano muito difícil para a economia brasileira, e mesmo diante de todo este transtorno, mais uma vez a piscicultura se destacou como o setor que mais cresce na agropecuária.

Dando ênfase a piscicultura, a criação de peixes está em expansão no Brasil. O crescimento em 2016 chegou a 10%, faturando R$ 4,5 bilhões de reais!
criacao de peixes

Mas o que fez o cultivo de peixes se tornar algo tão promissor no Brasil? 

Acompanhe este artigo para ver o quanto a piscicultura é abrangente e as diversas oportunidades de iniciar um negócio rentável ligado a piscicultura para os próximos anos.

Oportunidades de expansão para criadores de peixes:

Na Indústria de pescado

É ampla e cheia de oportunidades. Frigoríficos, Restaurantes, Indústria de congelados entre outros, são responsáveis pela maior movimentação do setor de piscicultura.

Resultado de imagem para indústria de pescado

Cada vez mais, o brasileiro busca por alimentação mais saudável, e o pescado cumpre bem este papel em proteínas, e nutrientes.

Na moda

Curtumes (ou alçarias) são responsáveis por reaproveitar a pele do peixe para a confecção de bolsas, sapatos, brincos, e artesanatos em geral.

curtume de peixes
Há diversas empresas investindo no curtume de peixes, devido ao crescimento da piscicultura no Brasil. Estes curtumes enxergam a possibilidade de expansão junto com o criador de peixes, e cada vez mais, este trabalho está sendo executado em conjunto!

Saiba mais sobre as oportunidades da criação de peixes neste artigo.

O que esperar para os próximos anos na piscicultura?

De acordo com o relatório da FAO, a aquicultura terá ainda mais expansão nos próximos anos no Brasil. O consumo de pescados no Brasil chegará a 12,7 quilos em 2025, cerca de 32% a mais do que os 9,6 quilos consumidos por ano entre 2013 e 2015. A expectativa é que em 2025 a produção já seja de 1,145 milhão de toneladas!

O que falta para você iniciar sua criação de peixes?

A Recolast está a 39 anos no mercado, e certamente pode te ajudar com soluções em reservatórios escavados, tanques australianos, criação intensiva de peixes, ou criação de peixes e hortaliças (aquaponia).

Irrigação integrada com Criação de Peixes!

Irrigação integrada com criação de peixes certamente trará benefícios para ambas as atividades e para os agricultores.

Irrigação Integrada com Criação de Peixes

O Brasil tem incentivado o ramo agrícola e ampliado a sua área de irrigação, tornando assim mais uma alternativa para aumentar a produção de alimentos. A piscicultura é também uma importante ferramenta para o desenvolvimento social e econômico de uma região, possibilitando o aproveitamento efetivo dos recursos naturais e locais.

Os benefícios de uma irrigação integrada!

A piscicultura se beneficiará aproveitando a infra-estrutura já implantada nos projetos de irrigação. As águas que passam pelos cultivos de peixes poderão trazer grande contribuição para a exploração de produtos vegetais, em virtude da riqueza em nutrientes, principalmente nitrogênio e fósforo, provenientes dos dejetos dos peixes e de restos de ração não consumida.

O cultivo integrado com piscicultura também se faz no projeto de Aquaponia em forma de simbiose, onde a água rica em matéria orgânica que sai do tanque dos peixes, passa pelo canal hidropônico (hortaliças), utilizando os nutrientes contidos na água para seu metabolismo/crescimento, e como contrapartida efetua a limpeza da água que retornará em boas condições aos peixes.

Os cuidados com água!

A utilização de efluentes da piscicultura para irrigação requer alguns cuidados, como a qualidade da água em relação aos resíduos. Sendo estes, os responsáveis pela produção de amônia, é necessário fazer a TPA (troca parcial da água), para que a amônia não seja letal para os peixes. Logo, são retiradas 50% da água do reservatório, que será usada para a irrigação, assim, beneficiando a plantação, e mantendo a qualidade de vida dos peixes.

As características do local!

Do ponto de vista das instalações, é importante levar em consideração as características do tipo de reservatório a ser usado quanto a: largura, profundidade, altura de lâmina de água, vazão, e locais de bombeamento de água, sistema de irrigação adotado e tipos de insumos usados nos cultivos agrícolas, em especial os agrotóxicos. O uso de agrotóxico nas plantações pode comprometer a sobrevivência dos peixes ou a qualidade do pescado produzido.

Reservatório escavado com água captada dos galpões.

No mercado há diversas alternativas de reservatórios para irrigação integrada com criação de peixes, dentre as opções estão os reservatórios escavados impermeabilizados com Geomembrana e os Tanques suspenso do tipo Australiano.

Na questão ambiental…

Como qualquer outra atividade, a criação de peixes em canais de irrigação requer uma avaliação prévia do mercado, tanto no que se refere à aceitação do peixe a ser produzido, quanto à disponibilidade dos insumos necessários à criação. Também é imprescindível obter, junto à administração dos perímetros de irrigação públicos, a autorização para realizar o cultivo de peixes.

Tilápia é a melhor opção!

tilapia-01

Dados indicam que a criação de tilápia do Nilo não alterou de forma negativa a qualidade da água no canal, sendo esse fato favorecido pelo manejo de bombeamento e vazão da água para a irrigação integrada.

Como sabemos, o mercado da tilápia vêm crescendo cada vez mais, pois têm uma excelente procura e aceitação devido as suas características. De boa resistência à uma saborosa carne, a tilápia promove um rápido crescimento e fácil manejo, além do aproveitamento do couro e as vísceras para produção de óleo e farinha de peixe. São inúmeras vantagens que agregam valor a espécie, saiba mais dessas vantagens clicando aqui.

Como vimos, é de fundamental importância a irrigação integrada com a criação de peixes, pois resulta em maior diversidade de produtos ou aproveitamento de recursos não explorados, já que se podem produzir duas culturas utilizando a mesma água.

Agora que você já sabe que a irrigação integrada com criação de peixes só tem benefícios, que tal impermeabilizar seu reservatório com eficiência para que o sistema tenha melhor desempenho, sem riscos de vazamento e perda de água?

Escolha as geomembranas em pvc e garanta a durabilidade do seu sistema de irrigação.

Entre em contato com os consultores da Recolast para auxiliar no seu projeto CLICANDO AQUI!

Sistemas para criação de peixes que não exigem licenciamento ambiental

O consumo de peixes no Brasil e no exterior tem alavancado o mercado da piscicultura.

São muitas as modalidades de criação de peixes, e cada vez mais, o produtor deve estar ligado em novas tecnologias para otimizar a produção, diminuindo os custos e principalmente o impacto que esta nova criação terá para o meio ambiente.

Diante desse cenário, a Recolast sempre em busca de inovação, disponibiliza sistemas para criação de peixes de vários tamanhos, de acordo com a necessidade de cada produtor.

Listamos alguns modelos de criação que não agridem o ecossistema, e por isso, não precisam de licenciamento ambiental. Confira!

 Kit Educacional – Aquaponia

KIT EDUCACIONAL AQUAPONIA

Este kit educacional Aquaponia, foi desenvolvido especialmente para despertar a curiosidade e o interesse de adultos e crianças pela piscicultura e agricultura.

É a junção da criação de peixes com hortaliças, criando uma simbiose, onde o dejeto dos peixes, se torna alimento para as plantas e os nutrientes das plantas, se tornam alimentos para os peixes.

Em um sistema como este, a produção chega até 50 pés de hortaliças e 50 peixes de 400g.

Saiba mais neste link>

 

Aquaponia
Aquaponia

Através do mesmo processo de simbiose do Kit Educacional acima, a Aquaponia é um sistema para uma produção mais completa, onde a produção chega até  200kg de peixes e 500 pés de hortaliças.

Neste sistema, é possível uma criação mais voltada para o comercio, onde você já pode  vender peixes e hortaliças em locais próximos de casa, obtendo um lucro maior.

Saiba mais neste link:

 Fábrica de Peixes & Algas

fabrica de peixes

A Fábrica de Peixes & Algas, já é um sistema de criação intensiva, com troca zero de água, para uma produção em grande escala.

Com este sistema, você consegue uma produção de até 1000kg de peixes!

A criação de peixes neste sistema, é para quem está querendo empreender, pois é necessário um acompanhamento constante do mesmo.

Sabia mais neste link>

Para quem é leigo no assunto de criação de peixes, a Recolast desenvolveu um curso de criação intensiva (Dia de Campo), voltado para quem deseja empreender com a Fábrica de peixes, onde há um curso teórico, com informações de mercado e consumo em conjunto com uma visita a uma fábrica de peixes em um cliente nosso para demonstração do sistema.

 

 

 

Aquaponia – Produção Sustentável ao Alcance de Todos!

Chamamos de Aquaponia a combinação de hidroponia (cultivo de hortaliças sem solo) com aquicultura (criação de peixes), que através de simbiose – forma integrada e colaborativa, proporciona um maior rendimento das hortaliças, além de peixes mais saudáveis e fáceis de serem manuseados.
Veja como funciona o processo:

como funciona a aquaponia

Como funciona a Aquaponia

Em um sistema dinâmico, a água rica em matéria orgânica que sai do tanque dos peixes, passa pela caixa hidropônica (hortaliças), essas utilizam os nutrientes contidos na água para seu crescimento, em contrapartida efetua a limpeza da água que retornará em boas condições para os peixes.
Agora conheça o Kit Educacional Aquaponia Recolast!
Pensando em quem pretende iniciar neste ramo, pequenos produtores rurais e também na agricultura familiar, o KIT EDUCACIONAL AQUAPONIA, foi desenvolvido para cultivar em pouco espaço suas próprias hortaliças e peixes, desfrutando de uma alimentação mais saudável e livre de agrotóxicos.
kit_aquaponia
Comece seu próprio negócio!
Diante da crise econômica, você terá a oportunidade de iniciar seu próprio negócio em casa gerando uma renda extra para sua família.
Comercialize inicialmente para os consumidores mais próximos, e então, comece a pensar em uma produção de grande escala! A Recolast também possui a Aquaponia para projetos maiores.

POUCO espaço, MUITOS benefícios:
• Redução significativa do consumo de água;
• O sistema de produção é muito mais natural;
• A nível doméstico, o sistema pode ser instalado no quintal;
• Vegetais mais saudáveis;
• Baixo Custo;
• Produção Educativa e Sustentável;
• Elimina e/ou reduz custos com irrigação, fertilização e limpeza;
• Isento de licença ambiental;
• Manuseado por apenas uma pessoa;
• Produção durante todo ano.
Veja na prática como funciona:

Assista o vídeo sobre o Kit Educacional Aquaponia

Gostou? Clique aqui e conte com os Consultores da Recolast!

Ranicultura: Histórico e projeções para os próximos anos!

A produção brasileira tem um cenário promissor e deve gerar em torno de 400 toneladas por ano.

 

Neste post você vai ver:

Histórico e Atualidades;

Ranicultura no Brasil;

A melhor espécie para criação;

Comercialização.

Pesquisas têm apontado diversas características da  que podem torná-la ainda mais rentável ao produtor. Sua carne é muito saborosa e possui substâncias que auxiliam alguns tratamentos alérgicos e de doenças gastrointestinais. Restaurantes sofisticados são os principais consumidores dessa iguaria. Sua pele pode ser amplamente comercializada, já que possui efeito cicatrizante, especialmente em tratamentos de queimadura, e pode ser transformada em couro. O óleo da rã também fornece bom índice lucrativo ao criador, pois constitui a fórmula de alguns medicamentos e cosméticos.

Histórico e Atualidades

A ranicultura iniciou em 1939 com auxílio da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. Atualmente podemos dizer que a rã-touro é a única espécie utilizada pelos ranários comerciais brasileiros. Ela é a melhor rã para a criação intensiva e adaptaram-se perfeitamente as nossas condições climáticas.

Ranário

A área média recomendada para a implantação de um ranário rentável comercialmente varia entre 500 a 700m2. Com esse projeto o ranicultor pode atingir uma produção de anual média de 2.000 Kg de carne. Recomenda-se água de boa qualidade preferencialmente de mina ou poço. O custo de implantação médio no Estado de São Paulo varia entre R$ 50,00 a R$ 70,00/m2 de área construída. Praticamente toda a produção brasileira (cerca de 400 ton./ano) é absorvida pelo mercado interno, mas o Brasil possui condições de conquistar grande espaço no mercado externo, porém necessita preparar-se para tal. Existem também novos nichos de mercado interno a serem conquistados.

Há 20 anos, houve uma demanda considerável de empreendedores que iniciaram suas atividades na ranicultura convencional, porém, 90% desistiram devido a uma série de problemas como:

Climatização: a reprodução e a engorda das rãs durante o inverno não acontece. Como os sistemas convencionais são abertos, não é possível realizar a climatização do ambiente criatório, colocando a produção sob o efeito da sazonalidade.

Canibalismo: Na fase de engorda as instalações dificultam a separação dos animais por tamanho. As rãs maiores comem os menores diminuindo o plantel.

Predadores: Nos sistemas abertos, há uma facilidade de acesso de ratos, gatos, pássaros e principalmente pessoas que consomem as rãs causando prejuízos enormes.

Investimentos: Para implantar um ranário nos sistemas tradicionais é preciso um grande espaço físico, normalmente em ambiente rural. Obras de construção civil, como tanques de alvenaria, baias, estufas tornam o custo inicial grande aumentando o tempo de retorno do investimento. Umas das opções seriam utilizar os tanques circulares do tipo australiano, pela facilidade na montagem e desmontagem.

Outras dificuldades: Manejo alimentar, manejo animal, manejo profilático, ganho de peso e principalmente produção contínua, somados aos anteriores continuam sendo os grandes problemas da ranicultura convencional, a nível comercial. Como as rãs ficam no chão e em grandes tanques, fica muito difícil entrar para pegá-las quando se precisa selecionar por tamanho, retirar rãs doentes, etc.

É claro que a mudança requer tempo e planejamento, já que um ranário convencional instalado significa muito dinheiro investido podendo haver uma resistência inicial à mudança.

Ranicultura no Brasil

O Brasil é o segundo maior criador de rãs no mundo (Pesquisa feita pelo Globo Rural em 06/11/16), feito através do sistema de Confinamento. O último levantamento oficial do IBGE de 2016 fala em 160 toneladas ao ano, mas há quem diga que esse número seja três vezes maior.

Veja na íntegra a reportagem do Globo Rural sobre a criação de rã:

 

A melhor espécie para criação!

A espécie mais usada em cativeiros é a rã-touro gigante!

É um animal de origem Norte Americana, introduzido em nosso país em 1935 e devido às suas características zootécnicas, foi escolhida a melhor espécie para cativeiro.

imgpsh_fullsize

Principais características:
• Rápido crescimento;
• Alto número de ovos;
• Facilidade de manejo;
• Adaptação climática.
 

Continue lendo e descubra como aproveitar e agregar valor na comercialização!

A Rã-touro é originária das proximidades das montanhas rochosas na América do Norte. A coloração de pele é entre verde-claro e cinza-escuro.É considerada a terceira maior do mundo em tamanho, chegando aos 30 cm de comprimento total (desde o focinho às patas traseiras) e 2,5 kg de peso. A rã-touro vive no máximo 16 anos e sua capacidade reprodutiva é de aproximadamente 10 anos.

É considerada a terceira maior do mundo em tamanho, chegando aos 30 cm de comprimento total (desde o focinho às patas traseiras) e 2,5 kg de peso. A rã-touro vive no máximo 16 anos e sua capacidade reprodutiva é de aproximadamente 10 anos.

As características biológicas e fisiológicas das rãs são relativamente diferentes de outras espécies de animais comuns de cativeiro. O ciclo de vida das rãs possuem duas fases, sendo a aquática chamada de Girino, e a terrestre é chamada de Rã, mas ainda sim com extrema dependência da água.

Existem outras espécies de rãs nativas do Brasil, como a rã-pimenta, rã-manteiga ou paulistinha, que podem também ser criadas em cativeiro, mas em comparacão com a rã-touro, possuem o menor desempenho produtivo e além de dificuldades técnicas e burocráticas.

Comercialização: Veja como agregar valor à carne de rã!

A Rã pode ser aproveitada por inteiro, desde sua carne, pele e até mesmo as vísceras. Por ter um mercado específico, os restaurantes sofisticados são os maiores consumidores, dessa forma é vendida como carne nobre.O valor de comercialização é alto, e a demanda consegue ser maior do que a sua produção.

Já na exportação, os pedidos estrangeiros são específicos de rãs brasileiras, mas por conta do volume alto de pedidos, e poucos produtores, a demanda acaba não sendo atendidos por completo, e assim os outros países acabam pagando mais caro pela carne para ter acesso mais fácil e rápido!

O preço da rã abatida é de R$ 35 o quilo, mas o preço no mercado pode chegar a R$ 60. O grande problema é o que preço está muito associado à ração que não encontra com qualidade disponível no mercado. 

O que esperar da Ranicultura para os próximos anos?

 

O rápido crescimento da ranicultura no Brasil está abrindo portas para novos empreendedores, e de acordo com esta projeção, a tendência para os próximos anos, é de que criadores, intermediários (restaurantes) e consumidor final alinhem bem os interesses de forma homogênea e consistente, tornando o consumo de carne de rã tradicional no Brasil, fazendo com que a carne de rã seja procurada e encontrada proporcionalmente como o camarão, mariscos, entre outros.

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...