Archive for janeiro 27, 2017

Produtividade leiteira: Implantando um Biodigestor no sistema de Compost Barn!

O confinamento é praticado para que a produção de leite seja efetiva, e reflete no bem estar do animal e conseqüentemente na qualidade do produto. Por isso, é importante que os produtores estejam atentos a novas soluções que surgem no setor, garantindo maior eficiência na produção.

Continue lendo e veja nesse artigo:

- Como funciona o Sistema de Compost Barn e suas vantagens;

- O processo da compostagem;

- Usabilidade do Biodigestor para aumentar sua produtividade com qualidade.

vaca

Já ouviu falar em COMPOST BARN?                      

O Compost Barn foi criado em meados da década de 80, por norte americanos que produziam leite. Mas apenas em 2001 começou a ganhar adeptos em maior escala. Porém, no Brasil ainda está surgindo e existem poucos materiais a respeito do assunto.

O Sistema consiste em um grande espaço físico coberto, com ventilação, revestido com “camas” de serragem, palha de arroz, palha de café entre outros, materiais que oferecem maior conforto às vacas leiteiras.

compostbarn

O diferencial desse sistema é a compostagem!

As fezes e urina das vacas fornecem nutrientes essenciais para que ocorra a compostagem durante todo ano. Produz-se então, o dióxido de carbono (CO2), água e calor a partir da fermentação aeróbica das matérias, já o oxigênio é proveniente da movimentação diária na cama.

O manejo adequado da cama é fator determinante para que o Sistema dê certo, caso contrário poderá ter conseqüências negativas. A cama precisa ser movimentada 2 x ao dia, todos os dias em horário definido para as ordenhas.

 

compostbarn2

 

Vantagens do Compost Barn:

  • Possibilita maior conforto para o rebanho;
  • Favorece a higiene do local e dos animais;
  • Contribui para redução de problemas de perna de casco;
  • Diminui a contagem das células somáticas (CCS);
  • Aumenta a detectação do cio;
  • Aumento na produção de leite;
  • Diminuição do odor e incidências de moscas.

A cada ano ou quando necessário a cama deve ser trocada, e o que fazer com a compostagem rica em nutrientes que foi produzida durante o processo?

Já se fala em soluções para dar um destino ecologicamente correto para essa matéria rica em nutrientes, o Biodigestor!

Qual a função do Biodigestor com a compostagem?

A matéria retirada da cama, é colocada num tanque misturador com água ou com alguns efluentes. Depois de homogeneizada, a biomassa estará pronta para alimentar o Biodigestor.

biodigestor1

Essa biomassa ficará no biodigestor por cerca de 40 dias, sendo alimento de bactérias metanogenicas, gerando o biogás e biofertilizante.O gás é canalizado até o gerador para ser fonte de energia renovável, enquanto o biofertilizante você utilizará para regar o plantação ou até vender para outros produtores.

O trabalho em conjunto do Biodigestor com o Compost Barn visa oferecer a intensificação no processo, alavancando a produtividade com qualidade!

Para saber mais sobre os modelos dos Biodigestores, nossos consultores estão disponíveis com soluções e dicas para atender pequenos e médios produtores! Entre em contato conosco clicando AQUI ou pelo telefone 11 3437-7450.

Avicultura: cenário atual e projeções positivas!

A indústria avícola está otimista com 2017!

Em 2015, o IBGE afirmou que frangos juntamente aos suínos tiveram maior número de abate para consumo. Em 2016 não foi muito diferente.

A crise econômica que tomou conta da vida dos brasileiros aumentou ainda mais o consumo de frango. O Paraná é responsável por abastecer cerca de 160 países com a carne do frango, assim, expandindo em 5% sua produção e rentabilidade, ao todo em 2016, foram exportadas 1,43 milhões de toneladas de frango, e com esses dados, o estado se mantém responsável por 35% de toda exportação feita pelo Brasil.

Projeções com prioridades para 2017!

Segundo o Presidente da ACAV (Associação Catarinense de Avicultura), José Antônio Ribas Junior, o cenário brasileiro e mundial da avicultura para 2017 está moderadamente otimista, com expectativas para novos mercados, sem descartar a preocupação com a influenza (gripe) aviária no mundo.

O segmento da carne de frango terá um aumento competitivo nas exportações, prevendo um aumento de 3% a 5% tanto na produção quanto na exportação do setor com os preços do milho mais favoráveis para os criadores. Devido as descobertas de focos da influenza em vários países, o Brasil, se mantendo seguro, será procurado cada vez mais para exportações da carne. O Brasil já é destaque na exportação do produto, e terá mais espaço para crescer em 2017. Dessa forma, a margem dos avicultores aumenta e certamente, o investimento será favorável para o mercado nacional e internacional.

Grandes oportunidades para a avicultura brasileira estão por vir. O aumento da venda de seus produtos no mercado internacional, ampliação da oferta de emprego e de renda em nosso país entre outras vantagens. Existem importantes desafios que teremos de superar de forma a assegurar essas perspectivas positivas para aquele que é um dos motores do agronegócio brasileiro.

As expectativas do Agronegócio para 2017

agronegocio

O cenário atual do Agronegócio

 

A atividade agrícola é uma das mais importantes na economia brasileira, pois é responsável pelos valores da balança comercial do país. O setor da agricultura passou por vários ciclos e transformações no decorrer dos anos, indo desde a economia na produção de cana-de-açúcar, até a expansão do café e da soja.

Em 2016 a safra de grãos teve uma grande redução devido à falta de chuva em algumas regiões e o excesso em outras. Com isso, os preços dos produtos agrícolas sofreram um aumento fora do comum em relação aos anos anteriores.

Em Mato Grosso, por exemplo, a produtividade da safra de milho foi a pior em 5 anos, devido a escassez da chuva na região o desenvolvimento do milho foi baixo e insuficiente para pagar a colheita dos produtores.

O ano não foi nada fácil para quem depende da produção de grãos, já que as demandas foram pequenas e os preços elevados, deixando assim, 2016 declarado o ano da crise.

Os obstáculos para o crescimento do agronegócio brasileiro são imensos, mas podem ser superados, é indiscutível a importância do agronegócio à economia brasileira e a posição que ele chegou ao cenário mundial atual. Por isso, se tornou o setor chave para que o Brasil se inclua no comércio mundial.

As expectativas para o próximo ano

perspectivas

Não é de hoje que o agronegócio brasileiro demonstra uma extraordinária capacidade de superar as adversidades. Os cenários serão diferentes de forma positiva em 2017, já que a agropecuária pode crescer em até 2% e as chuvas serão mais regulares permitindo o plantio dentro do calendário previsto.

Com o aumento da produtividade, a previsão é de alta de 4,9% no faturamento, atingindo R$ 133,1 bilhões, apesar da queda das cotações no Brasil, puxadas pelas boas safras americanas e argentina. Como boa parte da colheita de soja, assim como a do feijão, está concentrada no primeiro trimestre do ano, a expectativa é que o PIB do primeiro trimestre já reflita a boa safra.

Aumento das exportações

exportação

A exportação de grãos também é um dos fatores que tem previsão de crescimento em 2017, com projeção de 51,7 milhões de toneladas para 58 milhões. Segundo a Conab, os embarques de sojas podem alcançar o nível previsto de 102 milhões de toneladas, já que a maior parte das exportações brasileiras é para a China e tem como um possível aumento de 4,24 das importações para o país asiático. ­­

A Agricultura Familiar auxiliando no crescimento do agronegócio

agricultura-familiar

A agricultura familiar tem grande importância no Brasil, já que conta com uma produção de alimentos que segue bem estruturada e com investimentos crescentes.

A mandioca, feijão e milho são alguns desses alimentos com forte presença da agricultura familiar e tem um papel importante no mercado brasileiro. Essas mercadorias geralmente são levadas diretamente para o atendimento imediato de sua produção, evitando assim, que sejam direcionadas para o mercado externo.

Como ficarão as projeções para cada segmento

agronegocio

Feijão: O faturamento bruto vai crescer em todo de 19,8% e os preços não vão ser altos como foram registrados em 2016, devido ao aumento da produtividade.

Algodão e arroz: Apresentará um aumento de produção, mas os preços se manterão na média do ano anterior.

Milho: O faturamento vai crescer em torno de 7,6%, em relação ao de 2016 e terá aumento na produtividade e na área cultivada, levando assim, a queda nos preços.

Laranja: Expectativa de crescimento na produção, mas os preços ficarão nos mesmos níveis de 2016. O faturamento terá acréscimo de 7% em relação a 2016, atingindo R$ 6,2 bilhões.

Soja: Para 2017, a produção de soja deve atingir 104 milhões de toneladas. O consumo de grãos e o faturamento tem previsão de aumento.

Café: Com menor produção no Brasil, o faturamento do café vai cair em média 6% e o preço vai aumentar na mesma proporção que o grão.

Trigo: A produção seguirá a mesma linha de 2016, mas terá redução no faturamento, devido à queda nos preços dos cereais.

 

Apesar de termos passado por diversas dificuldades no setor do agronegócio em 2016, as perspectivas para os próximos anos são de melhorias devido ao grande aumento da produtividade e a regularização de chuvas nas regiões. Também é considerado que os produtores aliarão as novas tecnologias para continuar investindo nas práticas que não alteram negativamente o solo.

Bovinocultura e as projeção para os próximos anos!

BOVINOCULTURA
Vamos ver nesse artigo como foi o mercado da Bovinocultura em 2016 e as projeções para os próximos anos, nos setores da:
 
> Exportação;
> Mercado interno;
> Perspectivas para novos mercados e oportunidades.
 

 PREPARE SE PARA EXPORTAR!

As exportações de carne bovina do Brasil em 2016 cresceram rapidamente e isso tem mantido os preços da arroba nos atuais patamares e com ótimas perspectivas para 2017. Com o real extremamente desvalorizado os preços de carne bovina brasileira ganharam uma competitividade extra e isso tem sido aproveitado pelas empresas exportadoras de carne.

ExportaçãoTanto é que a ABIEC(Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne),que representa as empresas exportadoras de carne,está prevendo este ano uma exportação de carne bovina em torno de 1,76 milhões de toneladas. Se confirmada a previsão, registraremos 20% de crescimento de vendas em apenas um ano e ainda por cima, poderíamos registrar um novo recorde histórico. Até então o maior volume exportado da história do Brasil foi em 2007, quando foram embarcados 1,62 milhões de toneladas.

Um dos fundamentos para o otimismo quanto às exportações são os fundamentos da demanda que virá da Ásia, especialmente da China e Japão. O real cotado entre R$3,10 e R$3,50 torna o nosso produto muito acessível para o mercado Asiático que, por proximidade geográfica, habitualmente compra carne da Austrália. Como os abates diminuíram consideravelmente na Austrália, a questão do câmbio foi ainda mais valorizada e aproveitada pelos asiáticos que têm comprado volumes expressivos e deverão continuar nestes próximos 3 anos pelo menos.

MERCADO INTERNO CRESCE EM RITMO ACELERADO!

crescimento do mercado

A crise que atropelou a economia brasileira em 2016 não foi capaz de derrubar todos os setores do agronegócio. Entretanto, o setor da proteína animal – sobretudo o da bovinocultura – foi um dos que sofreram maior baixa. O desemprego e a queda do poder aquisitivo da população derrubaram o consumo médio da carne bovina por habitante a 32 kg/ano, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento.

A projeção para 2017 é que a produção brasileira apresente recuperação de 3%,segundo o maior banco com atuação no agronegócio mundial (Rabobank). O maior crescimento será para as vendas internacionais, com boas perspectivas para 2017, possibilitará a entrada do produto em novos países com grandes mercados como a China e EUA.

Por outro lado, o economista e sócio da MB Agro, Alexandre Mendonça de Barros, disse estar mais otimista quanto à recuperação do consumo de carnes no Brasil. De acordo com ele, o setor de alimentos deve se recuperar antes de outros segmentos da economia brasileira.

Continue lendo e veja as perspectivas de novos mercados e as projeções de crescimento da economia!

Ainda neste sentido, precisamos ficar atento às tratativas de abertura de mercado para os EUA e México. Há expectativa de que o mercado de carne in natura dos Estados Unidos seja definitivamente aberto. Atualmente os EUA só permitem a importação de carne industrializada.

México por sua vez está com as conversas avançadas em torno da redução de impostos para o produto brasileiro uma vez que não existe nenhuma proibição. Este acordo deverá chegar ao fim nos próximos meses.

Tanto o governo como a iniciativa privada, estão sendo enfáticos: a projeção de crescimento da economia será de aproximadamente 1,2% para 2017. Para 2018, o governo prevê um crescimento de 2,9% e para 2019, de 3,2%.

 NOVO ANO, NOVAS OPORTUNIDADES!

oportunidades-de-negocio

Com a retomada da economia e os preços do salário mínimo subindo consideravelmente, uma grande massa da população brasileira poderá ver seus empregos de volta e com isso passarem a consumir mais os itens de alimentação. Inclusive carne!

As exportações serão fortes no ano de 2017. O mercado internacional ainda vai se aproveitar do câmbio e os problemas de produção na Austrália vão manter a Ásia em nosso mercado.

Em 2018 a economia mais fortalecida por um bom 2017, trará ainda mais oportunidades para a mão de obra assalariada que estará ainda mais estável para compor sua alimentação.

A carne vermelha é desejada por todos os brasileiros. O churrasco de final de semana é uma paixão nacional. Teremos um mercado pressionado nestes próximos dois anos nas duas pontas, interna e externa! As projeções no setor da bovinocultura são as melhores possíveis para o ramo, APROVEITE!

Suinocultura – Oportunidades no mercado de exportação

Em 2016, a suinocultura se destacou de varias formas, e a que mais rendeu lucros, foi a exportação da carne.  A exportação brasileira cresceu cerca de 54,7% no primeiro semestre de 2016. Por ser a proteína animal mais consumida no mundo, o Brasil e o restante do mundo estão cada vez mais expandindo no mercado de exportação, fornecendo principalmente para a China, Rússia, Venezuela e Hong Kong.

Os primeiros meses de 2016 foram ótimos para a suinocultura no Brasil, a produção interna de carne suína na China foi impactada por diversos problemas, reduzindo a produção drasticamente, por conta de legislações ambientais, e assim aumentou a procura pela importação para o país. Contudo, o Brasil em maio de 2016, exportou para a China uma quantidade suficiente para gerar um crescimento maior do que os anos anteriores. Desde dezembro de 2016, a China contou com seis novos frigoríficos de carne suína para receber a exportação do Brasil, e hoje já contamos com mais de dez frigoríficos aptos à exportação diretamente para a China.

O consumo de carne suína é de 14,5% no Brasil, e a soma desse consumo no mundo todo, é de 42,9%, portanto, torna a exportação uma oportunidade para o crescimento da suinocultura no mundo. No Brasil, a suinocultura está destinada a crescer cerca de 21% nos próximos 10 anos, atingindo cerca de 4,3 milhões de toneladas de carne.  Os estados de maior produção são: Santa Catarina, Paraná, Rio grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo e Goiás.

Com bastante otimismo em relação à suinocultura brasileira, o crescimento rápido da mesma, influenciou que os produtores fizessem mais propagação de seus produtos, aumentando o conhecimento de todos, contribuindo para que cada vez mais a carne suína seja consumida, dando oportunidade no investimento econômico nos próximos anos.

Criação de peixes – O que esperar para os próximos anos?

 Sabemos que 2016 foi um ano muito difícil para a economia brasileira, e mesmo diante de todo este transtorno, mais uma vez a piscicultura se destacou como o setor que mais cresce na agropecuária.

Dando ênfase a piscicultura, a criação de peixes está em expansão no Brasil. O crescimento em 2016 chegou a 10%, faturando R$ 4,5 bilhões de reais!
criacao de peixes

Mas o que fez o cultivo de peixes se tornar algo tão promissor no Brasil? 

Acompanhe este artigo para ver o quanto a piscicultura é abrangente e as diversas oportunidades de iniciar um negócio rentável ligado a piscicultura para os próximos anos.

Oportunidades de expansão para criadores de peixes:

Na Indústria de pescado

É ampla e cheia de oportunidades. Frigoríficos, Restaurantes, Indústria de congelados entre outros, são responsáveis pela maior movimentação do setor de piscicultura.

Resultado de imagem para indústria de pescado

Cada vez mais, o brasileiro busca por alimentação mais saudável, e o pescado cumpre bem este papel em proteínas, e nutrientes.

Na moda

Curtumes (ou alçarias) são responsáveis por reaproveitar a pele do peixe para a confecção de bolsas, sapatos, brincos, e artesanatos em geral.

curtume de peixes
Há diversas empresas investindo no curtume de peixes, devido ao crescimento da piscicultura no Brasil. Estes curtumes enxergam a possibilidade de expansão junto com o criador de peixes, e cada vez mais, este trabalho está sendo executado em conjunto!

Saiba mais sobre as oportunidades da criação de peixes neste artigo.

O que esperar para os próximos anos na piscicultura?

De acordo com o relatório da FAO, a aquicultura terá ainda mais expansão nos próximos anos no Brasil. O consumo de pescados no Brasil chegará a 12,7 quilos em 2025, cerca de 32% a mais do que os 9,6 quilos consumidos por ano entre 2013 e 2015. A expectativa é que em 2025 a produção já seja de 1,145 milhão de toneladas!

O que falta para você iniciar sua criação de peixes?

A Recolast está a 39 anos no mercado, e certamente pode te ajudar com soluções em reservatórios escavados, tanques australianos, criação intensiva de peixes, ou criação de peixes e hortaliças (aquaponia).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...